Outra Vez no Rio Vez

Mais uma descida no límpido Rio Vez, na companhia do meu compadre Paulo Quintas. Após a descida do Rio Lima e para não perder a pedalada, no dia seguinte lá fomos para a água novamente. Ainda aguardámos mais companheiros para a descida, mas julgamos que o caudal afugentou alguns dos interessados. Desta vez a água estava a um bom nível e a corrente bem mais forte para tornar a descida mais interessante e muito mais rápida. Tão rápida que não dava para ver algumas daquelas pedras malandras, que só se sentiam quando se batia e roçava nelas, mas sem isso a adrenalina não teria sido tão forte. Algumas pesqueiras metiam agora mais respeito e o ainda não ter os botes apropriados para estas andanças, levou-nos a contornar uma ou outra. O Rotomod Solo e um bote de Pólo não são os indicados, mas á falta de melhor é com eles que descemos, mas desta vez lá levámos os capacetes e os coletes, pois o rio não estava para brincadeiras inconscientes, como já o fizéramos da última vez.
É um rio com águas límpidas em que se vê sempre o maravilhoso fundo (excepto quando a espuma fervilha á nossa volta), a poluição ainda aqui não chegou, gente nesta altura nem vê-la, foi como ter o paraíso só para nós o saborearmos, aliás a vontade era a de tomar um bom banho, como tantas vezes já o fizemos nestas águas. O dia contribuiu para tornar esta descida ainda mais bela, pois o sol acompanhou-nos sempre e espreitava por entre a vegetação quando esta era mais densa, um dia muito agradável tendo em conta que estamos em pleno Inverno. Após esta espectacular experiência ficou já apalavrada uma nova descida lá para Março, esperando que chova mais um pouco para tornar o rio ainda mais rápido e a descida ainda mais emocionante. Esta foi a quarta experiência em águas bravas, onde o nível de perigosidade das descidas tem aumentado de grau em cada uma delas, ainda sem ter passado por um banho forçado (habitual nestas andanças), desejo que a próxima descida seja ainda com um nível de dificuldade mais elevado e aguardo com expectativa qual será a pesqueira que me fará tomar o tal banho forçado (não sem antes me esforçar por não o tomar). Em Março lá será o Vez outra vez.
SoulWater

1 comentário:

gobi disse...

foi com grande prazer ter descido o rio vez, com o meu grande amigo e compadre. Sempre na esperança de repetir imensas vezes.